Solidão

Se tem algo que nunca me atormentou em nenhum momento da minha vida foi a solidão. Gostava de andar sozinha, ficar em casa sozinha,  ir para os lugares mais legais, também sozinha. Nunca me importei de ficar na solidão num sábado a noite, ou então de ficar em casa enquanto todos estavam se divertindo. Pra mim, ser a que menos importava no grupo, era o de menos, nunca liguei em não ser a mais querida, mais conhecida ou a mais simpática do grupo. Sempre fui muito eu nisso. Sempre gostei da minha companhia, por tantas as noites ela me mostrou que eu não estava sozinha, eu tinha a mim mesma. A solidão se tornou a minha melhor amiga em diversos momentos, e sempre a acolhi de braços abertos e com um café bem quente. Mas aí, tudo mudou.

Quando conheci braços quentes e sorrisos que me completassem, a solidão passou a ser a minha maior inimiga. No momento em que estar sozinha se tornou um problema, tornou-se incomum eu me sentir feliz quando tão só. Não tinha mais graça passar todas noites de sábado sozinha, muito menos ir naqueles lugares incomuns, todos eles me faziam querer a tua companhia. Dizem que é difícil se acostumar com o bom, quando se tem o melhor, e concordo plenamente com isso. Agora nada mais tinha graça quando você não estivesse perto.

Aqueles diversos planos que eu fiz pra mim – e somente pra mim – agora tinha incluso uma coisa a mais: você. Eu nem mesmo conseguia lutar pra me sentir maravilhosamente bem quando sozinha, porque eu te carregava comigo em cada passo meu. Tudo em minha volta passou do ‘eu’ para ‘nós’ e tudo que era ‘meu’ se tornou ‘nosso’, inclusive os meus sonhos, que agora eram compartilhados contigo como se eu tivesse a minha vida inteira planejado tudo aquilo. Sendo que todas aquelas ideias só surgiram porque alguém me mostrou o quão bom era não estar só.

Me acostumei a dividir tantas dores e melancolias, que até quando eu sentia uma dorzinha no peito, eu precisava te dizer, somente pra eu ouvir que eu não estava sozinha e que tudo aquilo ia passar logo, logo. Senti meu coração quente e alegre depois de tanto tempo esperando que a solidão me acompanhasse pro resto da vida. Não gostava mais de me sentir só, agora que eu me sentia cheia de amor. Com tanta facilidade, eu transformei o meu ‘eu’ em ‘você’.

Anúncios

Simples

Cada palavra tua havia sido memorizada pela minha mente tão fraca. Deletei todos os acontecimentos passados, pra só assim poder ter uma única pessoa em minha cabeça. Cada sorriso teu se tornou meu, assim como cada risada minha foi preenchida pela tua. Lembrei de cada olhar, cada vez que tu segurou a minha mão mais forte. Permiti que tu deitasse do meu lado, me abraçasse como se o amanhã não fosse chegar. Quando eu abri os meus olhos naquela manhã, eu implorei pra que você não fosse embora. Teus braços quentes que me aproximavam cada vez mais, misturando nossos cheiros, se tornaram o lugar mais confortável pra mim.

A cada segundo eu tinha mais certeza do quanto te amava. E eu não precisava gritar isso ao mundo, pois ele já havia percebido por si só. Alguns diziam que eu era louca, e eu ria junto de ti de cada palavra vinda dos outros. Nada daquilo me importava mais porque eu estava completamente preenchida, amada e feliz. E isso bastava. Pra mim. E pra nós.

Desabafo

Implorei por tantas horas pra te ter aqui de volta. Sonhei com teus abraços ao mesmo tempo que eu apertava meu travesseiro com força. Senti solavancos no meu peito toda hora que lembrei o quão longe você estava. Arrepiei-me ao lembrar do toque das tuas mãos e o roçar dos teus lábios. Permiti meu ser se inundar de lágrimas, pois só assim um pouco daquela angústia ia embora. Abracei o maior número de pessoas, só pra ver se algum abraço era parecido com o teu, levei um soco no estômago ao perceber que nada podia substituir o que tu já havia roubado pra ti.

Sacrifiquei horas de sono só pra ficar lembrando de ti, tentando da forma mais difícil assimilar que logo você estaria de volta. Não sei se foi o cansaço ou as lágrimas que me pesaram os olhos e me fizeram adormecer. Não reclamo delas, afinal, elas me trouxeram os sonhos mais bonitos. Uma fantasia inútil pra cobrir um pequeno espaço vazio dentro de mim. Aquela falsa alegria durou alguns minutos, talvez aqueles minutos foram as horas mais felizes dos meus dias.

Eu entreguei tudo que me restava pra você fazer o que quiser. Toma, leva tudo que me sobrou. Afinal, isso não faz mais sentido sem você aqui. Essa mísera parte não funciona mais, ela está apenas ligada no automático e ela se movimente conforme a saudade é capaz de me coordenar. Nada mais fazia sentido sem você aqui. E isso me matava. A cada segundo mais…