The nicest thing

Eu torcia com todas as minhas forças para que o sentimento que estava contido em mim, fosse suficiente.

Algo dentro de mim dizia que ele era mais que suficiente, mas minha mente certas vezes parava. Meus olhos estavam presos em direção a parede, e eu ficava minutos imaginando nós dois. Até que algo me tirava daquele transe e eu percebia que você não estava aqui, que tudo que eu via era apenas fruto da minha imaginação. Fruto das lembranças que ocuparam todo o espaço possível do meu cérebro e do meu coração. E quando eu acordava todas as manhãs, eu não sorria, porque eu não ia te encontrar no meio da tarde. Eu não ia respirar o mesmo ar que o teu. Não ia segurar os teus dedos, nem te observar sorrir. E nada mais poderia me fazer tão feliz quanto isso. Te encarar se tornou o paraíso pra mim, o ápice de felicidade.

E quando eu disse que passaria rápido, eu não sabia de nada. Quando eu soltei a tua mão, eu não tinha a mínima noção do quanto isso me doeria no dia seguinte. Eu prometi que aguentaria firme, que nada poderia me fazer chorar de saudade. Eu não sabia de nada quando disse isso também. E quando percebi que estávamos tão longe, a única coisa que eu podia fazer era sentir a tua falta. Como se isso fosse a minha única forma de fugir da minha realidade. Ao mesmo tempo, meu coração estava inteiro porque ele sabe que você vai voltar. E assim, eu poderei te abraçar e te ter aqui novamente. Essa é a minha única forma de consolo agora. É a única forma de eu acreditar que tudo isso é real.

Mil e mais uma

Memorizei cada canto do teu rosto. Marquei em minha mente o teu delinear, pra que eu possa lê-lo quando sentir sua falta. Memorizei cada canto das tuas costas, deixei seu cheiro impregnar em mim, atingindo os lugares mais profundos em mim. Acariciei teus cabelos devagar, pra poder lembrar a textura quando eu não te tiver mais em minhas mãos. Sentei devagar entre as tuas pernas enquanto minha testa colava na sua lentamente. Sem mesmo eu pedir, teus lábios se colaram nos meus como um impulso nervoso. Sorri de leve ao sentir nossos corações baterem juntos.

Deitei-me naquela noite, em que não sabíamos definir que tipo de temperatura nossos corpos se encontravam, entre teus braços. Você sorriu para mim, como um anjo antes de adormecermos. Em menos de um minuto, teu sorriso já me deixava sem ar, enquanto eu entrelaçava inocentemente meus braços no teu pescoço. E você me girava, como se o mundo não existisse para a gente.

Te criei mil apelidos, me permiti ser tua em poucos abraços – era o que eu mais queria naquele momento. Afastei todas inseguranças da minha mente, deixei marcado tudo que você me falou. Ri da forma mais ridícula enquanto tu me fazia cócegas e prometi não te deixar ir embora.

Você não acreditava no que eu te dizia. E eu me apaixonava a cada beijo teu.