Aleatoriedade

Você deve conhecer pessoas.

Deve mudar o caminho que segues todo o dia, deve andar uma rua mais a frente. Deve sorrir para um desconhecido e abaixar a cabeça. Deve cantar uma música logo de manhã cedo, pra poder estar animada e largar o mau humor de lado. Deve largar o computador e ler um livro, uma revista ou algo que lhe interesse. Deve andar por lugares que você nunca andou, conversar com pessoas que nunca viu. Ser simpática, respeitar e sorrir sempre.

Você deve esquecer o coração partido. Deixa que o tempo cure tudo. Coloque um sorriso no rosto, force a sim mesma a ir para frente, sem olhar para trás. Mude seu corte de cabelo uma vez na vida. Use uma roupa que você sempre quis usar. Dance. Dance de novo. Não ligue para o que os outros dizem. Saia de casa numa sexta à noite e só volte no domingo de tarde. Conheça mais pessoas.

Escute um cd que você nunca ouviria, escreva lembretes pela sua casa. Nunca esqueça seus compromissos. Primeiro faça suas obrigações, depois divirta-se. Você não terá que pensar a noite inteira em algo que deixou de fazer. Abrace. Sorria de novo. Diga o quanto alguém é importante para você todos os dias. Faça alguém sorrir: elogie. Mas somente se for sincero, elogios sem pé nem cabeça constrangem as pessoas.

Exponha suas opiniões. Escute atentamente outras. O próximo sempre tem algo para nos mostrar. Pinte as unhas, das mãos e dos pés, faça hidratação, para gostarem de nós, precisamos gostar do que vemos na frente do espelho. Sinta-se triste, mas não deixe que isso impeça você de ser feliz. Faça uma coisa que lhe deixa feliz sempre, faça isso te fazer sorrir.

Repense nas suas atitudes, muitas vezes elas são resposta para a nossa tristeza. Assista um filme que você gosta muito todo o mês, escute o seu CD favorito por dias consecutivos. Coloque uma música que você gosta muito como despertador. Você sorrirá ao acordar. Agradeça pelo dia que você teve, seja ele bom ou ruim.

Não sinta medo. Arrisque-se mais. Não deixe que digam que você não pode fazer algo, vai lá e faça. Mostre o quanto és capaz. Desabafe uma vez, duas vezes, três vezes, mas não se torne uma pessoa fechada que não entende o quanto conversar é uma terapia. Admita seus erros. É o primeiro passo pra você se tornar alguém melhor.

Durma cedo. Acorde cedo. Durma tarde, acorde cedo. Faça mudanças nos seus horários, jogue tudo para o alto durante uma semana. Faça nada. Mas logo retome todas as suas atividades. Faça planos, anote, vá atrás de realizações. Não deixe nada para amanhã. Seja impulsivo em alguns momentos, diga o que você sente para a pessoa que você gosta. Talvez ela só esteja te esperando. E talvez essa seja a última vez que você possa o fazer.

Arrume suas coisas, bagunce suas coisas. Arrume seus pensamentos, não viva num mundo onde você não pode mudar de opinião. Conviva mais com a sua família. Ela nunca vai te abandonar. Ame seus pais, eles sempre tentam dar o melhor de si. Ame a si mesmo. Somos únicos.

Anúncios

Nós

Abraça-me como se fosse a última vez.

Beija-me como se fosse a primeira.

Olha-me nos olhos como se eles fossem infinitos.

Acaricia-me como se eu fosse a roupa mais cara

Escuta-me como se eu fosse tua música favorita.

Segura-me como se eu fosse ir embora.

Sempre o mesmo sentimento

Sempre me foi muito fácil admitir meus defeitos. Nunca foi tão fácil admiti-los para as outras pessoas. Nem sempre obtive sucesso ao admiti-los, muitas vezes não soube mudá-los. Mas um deles, sempre foi irreversível. Um deles nunca foi capaz de me dobrar ou fazer admitir que eu estava mudando: o medo da perda.

Sempre quando meu coração se apega, ele começa a sussurrar que isso não vai durar muito. Algo dentro de mim me prende e impede de me entregar completamente. Algo dentro de mim, também quer se entregar, sem medo de substituição. Mas ele raramente consegue. Quando algo começa a me encantar, quando sinto que estou indo pelo caminho certo, algum desvio tira o meu foco e então, volto a estar só. Sem esperança alguma.

E eu, continuo ali, sentindo, querendo amar e querendo ser livre desse medo. Policio-me inutilmente, e quando percebo estou composta de medo e estou presa em uma prisão que deveria não existir. Eu fico ali me auto-boicotando, e querendo achar motivos pra cada coisa dar errado. E o mais surpreendente é que elas nunca dão. Mas mesmo assim, eu insisto em procurar aqueles motivos.

Eu imploro por mudanças em mim mesma, imploro por segurança e confiança em mim. Inutilmente. Nada muda. E eu continuo amando com um pé atrás. Intensamente e incessavelmente.