Um texto sobre como a vida pode ser engraçada

Nunca fui uma guria difícil pra ser agradada. Uma sequência de ligações, um mimo aqui, outra palavra bonita ali, pronto, eu já estava entregue facilmente. Após um tempo, comecei a reparar que nem tudo isso bastaria, era preciso bem mais que ligações, mimos e palavras bonitas. Companheirismo, carinho, calma, respeito, esses eram alguns dos outros requisitos pra eu poder me apaixonar.

Alguns guris errados, outro nem tantos, alguns me divertiam, outros me deixavam meio monótona. No meio de toda essa avalanche, alguns foram embora, achando que guria como eu, exigia namoro. Pera aí, desde quando a felicidade tem que ganhar um nome como namoro. Conheço inúmeras pessoas que se davam super bem como namorados, e bastou aquele pedidinho de casamento pra tudo dar errado. Como alguns homens dizem que casamento é a última forma de escravidão, pergunto por que quando estamos empolgados, agimos impulsamente? Uma sequência de alegrias leva a querer dar mais um passo, seja qual for, namoro ou casamento. A verdade é que nem sempre é assim. Nem sempre o namoro é como esperávamos, nem sempre um casamento era tudo que queriamos para o fim das nossas vidas.

Acho a melhor coisa da vida poder gostar de alguém e ser retribuído. Não há alegria melhor que acordar com aquele sorriso de orelha a orelha, se achando a pessoa mais linda do mundo. Sempre na espera de um algo mais, sempre na espreita que algo melhor vá acontecer. Às vezes acontece, o amor aumenta a cada beijo, a felicidade se multiplica a cada abraço. Outras vezes, percebemos que não é aquela pessoa que queremos pro resto da vida. Você namora e percebe que ele trata a mãe dele de uma forma feia e que ele deixar toalha molhada em cima da cama (justo essa mania que  você tanto odeia!) ou então, você se casa com alguém que não gosta de uma vida de casal, alguém que prefere ir pro bar com os amigos a estar com você. E é aí, que as relações recomeçam.

E mais engraçado ainda é que depois de muitos anos, podemos nos apaixonar de novo, sentir milhares de sensações que jamais achamos que sentiriamos de novo. De repente, estamos prontos pra recomeçar e amar de novo. Como se o nosso coração nunca tivesse sido partido. E é aí que denominamos o que é felicidade. No momento em que percemos que sim, todos dias podemos recomeçar.

Texto sobre o amor

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa: – Ah, terminei o namoro… – Nossa, estavam juntos há tanto tempo… – Cinco anos… que pena… acabou… – é… não deu certo… Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos essa coisa completa.Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.Tudo junto, não vamos encontrar. Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele. Pele é um bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona… Acho que o beijo é importante… e se o beijo bate.. se joga… se não bate… mais um Martini, por favor… e vá dar uma volta. Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer. Não brigue, não ligue, não dê pití . Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar… ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença. O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta. Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado sob pressão? O legal é alguém que está com você, só por você. E vice-versa. Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento. Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia? Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração… Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse… A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear. E nem todo sexo bom é para descartar… ou se apaixonar… ou se culpar…Enfim… quem disse que ser adulto é fácil?

(Por Arnaldo Jabor)

Passado

Acho que foi um dia desses qualquer. Acordei e nada mais fazia sentido. Você havia ficado pra trás, como todo o resto. Te deixei guardado na minha caixa de decepções, no lugar mais profundo. Não queria te tirar mais de lá. Achei que combinou tanto contigo. De uma hora pra outra, minha vida estava calma, normal, sem nada pra me preocupar, nem nada para eu pensar que precisasse mudar. Eu estava me amando mais do que gostava de ti. Estava refazendo planos, montando um novo guarda-roupas. Estava deixando minhas tarefas de modo organizado, e estava evitando tudo que pudesse me trazer qualquer dorzinha. Era desnecessário pra mim.

Coloquei nossas memórias no lixo, junto com todas as coisas ruins que vivemos, e as boas, guardei num lugar escondido pra eu somente ter acesso quando quiser. Quando sentir que é necessário e gostoso de se sentir. Movi minha cama para outro lado, da mesma forma que movi minha esperança na gente. Isso não era mais necessário agora. Não existia mais nada que eu pudesse fazer, pois você se tornou apenas uma lembrança imatura em minha mente. E eu te achava a coisa mais especial da minha vida. Eu era capaz de mover o mundo pra te ver sorrir.

Nada mais me importava, nada com o teu nome me trazia coisas boas. E  bastava eu lembrar de ti, por apenas um momento, pra perceber que não tínhamos nada a ver. Não mais. Você se tornou apenas uma memória, uma decepção ligada ao que eu chamava de amor. E só.

Dor maior

A maior dor é querer estar com quem menos pensa em nós. Com aqueles que nem por um segundo imaginam a dor que uma despedida pode fazer. Certas vezes devemos cortar laços da raiz, antes que a nossa ponte despenque. E caimos juntos dela.