Living in skin

Incrível como tudo se torna diferente quando sinto tua falta. Fico com esse sorriso como se faltasse algo, fico olhando pro lado pensando como seria te encontrar e te abraçar agora. Fico andando pela rua, imaginando como seria se tu estivesse segurando a minha mão. Como seria se ninguém pudesse nos impedir de sermos felizes. Fico pensando como seria te ter o dia todo pra mim, pra não fazermos absolutamente nada. Apenas nos olharmos e conversarmos sobre qualquer bobagem. Fico me sentindo tola por tantas vezes ter que procurar pelo teu nome, em todos os lugares, incrível como as palavras mais diferentes me levaram até você também. Fico nessa demora e espera pra te ver, querendo logo poder te abraçar e dizer que senti saudade.

Quando me deito fico pensando na forma em que tudo aconteceu, na forma rápida que me senti feliz. Da forma instantânea que um sorriso surgia e continua a surgir toda vez que te vejo. Da forma em que eu preciso te abraçar ou te tocar de alguma forma toda vez que te vejo. É estranho a forma que tudo começou, a forma como eu te procurava em todos os lugares, com medo de que tu fosse embora. A forma em que eu queria te chamar de “meu” mas ei!, você não era meu. Como eu podia ter aquele sentimento dentro de mim em tão pouco tempo? Fiquei passando horas do meu dia sorrindo como boba e me perguntando porque tudo aquilo tinha surgido dentro de mim. Perguntando como te abraçar e ouvir as tuas piadas era tão bom. Afinal, eu nunca fui fácil de ser agradada. Mas você mudou algo em mim.

Eu queria dançar a minha música preferida contigo, queria ouvir a tua voz ao acordar todos os dias, queria sentir o charme do teu olhar sobre o meu. De uma forma estranhamente gostosa… Eu queria rir contigo e brincar contigo, como uma criança que gosta do seu primeiro amigo. Contigo, eu aprendi a ver graça em tudo. Estranhei a forma de como tudo parecia ter graça somente contigo, e como eu aprendi a te colocar na minha rotina, uma rotina que há meses atrás, não tinha tempo nem pra mim mesma. Mas quando tu apareceu, algo dentro de mim, disse-me que deveria ter cuidado comigo mesma, pra assim tu poder gostar mais de mim. Não podia sair mais com qualquer roupa na rua porque podia te encontrar. Não podia falar o que eu quisesse porque eu queria que você gostasse de mim, e me visse assim como te vejo. Me admirasse, da forma que te admiro. Mesmo que às vezes eu tenha dito coisas erradas, isso se tornou engraçado. Por ser você quem me corrigiu.

Quando eu me deparei comigo mesma, quando percebi o quanto você havia se tornado parte da minha vida, me dei liberdade de sentir medo de te perder, mas sempre cuidando pra que isso não te atingisse da forma que me atinge. Me permiti pensar duas vezes antes de te dizer certos sentimentos, sempre com aquele receio de que tu fosse embora ou me achasse imatura demais pra ti. Apaixonada demais pra ti. E dessa forma, me permiti gostar de ti cada vez mais, me permiti entregar-me e deixar as coisas acontecerem, porque eu devo confiar em quem amo. E é o que eu faço hoje. Alguma coisa estranha aconteceu comigo, eu só não sei o que.

Domingo

Hoje acordei com um sentimento meio indeciso. Domingos são terríveis pra mim nesse aspecto. Hoje acordei com um medo dentro de mim, e mesmo ouvindo a tua voz, isso não passou. Aquele sentimento de não ser suficiente, sentimento de que nada disso passa de um sonho e que em breve acordarei. Esse sentimento de não saber se estou agindo da forma certa, se eu estou sendo única ou se até mesmo tudo o que meu coração insiste em mostrar é recíproco. Isso dói de uma forma diferente. Isso toca dentro de mim de uma forma como se em breve tudo isso pode acabar, se ruir com apenas uma palavra. Fico me questionando até tarde da noite se eu realmente sou merecedora disso, e acho que é nesse momento que várias perguntas começam a surgir pra mim. Eu acordo com aquela coisa dentro de mim, me dizendo pra eu parar de sonhar, pra eu parar de achar que alguém realmente pode gostar de mim. Isso é doloroso de uma forma que nem eu consigo explicar. Mesmo que seja um sentimendo duvidoso, alguém tenta me colocar pra baixo, pra eu começar a ficar com medo, com inseguranças e com aquela coisa de que eu sou tão pouco.

Há vezes que quando abro os olhos, tenho vontade de voltar a fechá-los quantas vezes forem necessárias, tenho vontade de fechá-los até dormir eternamente, só pra não precisar encarar as minhas dúvidas. Logo percebo que eu tenho é muito medo das respostas. Medo de ouvir algo que não é o que eu quero, algo que não se encaixa ao meu ver da palavra “amor”. É incrível o quão isso se torna chato e insuportável porque chega um ponto que nem eu me suporto. Chega um ponto que eu prometo a mim mesma não me apaixonar novamente, prometo a mim mesma que não devo gostar de ninguém, porque existe medo em mim, até em ser feliz.

Me sinto estúpida quando ajo como alguém que precisa de outro pra ser feliz. Quando parece que eu só posso ser feliz, alegre, quando tu estiver do meu lado. De alguma forma, percebo que isso é verdade. Porque foi você que trouxe tanta alegria pra mim. Foi você que trouxe tantas perguntas pra mim, perguntas que eu sinto que devo lutar contra. Prometi a mim mesma que não deixaria minha incapacidade estragar o nosso relacionamento. Se é assim que posso chamá-lo. A verdade é que há dias que não existe nada, nem ninguém que possa agir por mim. Há vezes que só eu posso suportar as minhas dores e tentar deixá-las de lado pra que em algumas horas eu me sinta feliz.

Quem disse mesmo que a minha relação comigo mesma era fácil? Existe ela pra eu enfrentar, antes de enfrentar a ti. Pra somente depois enfrentar o que eu sinto aqui dentro. Que é algo estranhamente bom, apesar de tudo.

Because I need you

Mergulhei de cabeça no teu olhar, como se no momento que eu parasse de te encarar, tu fosse embora. Decorei cada parte do teu rosto, pra quando as coisas ficassem ruins, eu pudesse recorrer a isso. Admito da forma mais ridícula possível o medo que tenho de um dia te perder. Quando eu olhei o teu sorriso, meus olhos e meus lábios se juntaram num só e riram juntos. Logo que percebi eu já estava praticamente implorando pra tu ficar um pouco mais. Ou pra me levar junto, pra onde quisesse, porque eu não queria te ver ir embora. A verdade é que o que mais queria era sair contigo por aí, na chuva mesmo, porque entre os teus braços não existe frio. E mesmo que eu pareça anormal ou extremamente idiota, enquanto estou contigo me sinto leve, e como se eu não precisasse mais nada. Mais nada mesmo.

Eu te pedi colo. Você me deu. Eu te pedi carinho. Você me deu. Se eu pedir pra você ficar aqui pra sempre. Você fica?

Então você veio e me fez tão feliz

Com um simples gesto tu encheu o meu coração de luz. Tornou o meu sorriso o mais sincero e puro dentre todos. Quando pensei que nada podia me fazer mais feliz, quando pensei que tudo, de alguma forma, estava acabada, você apareceu como uma estrela cadente no céu. E o meu pedido foi amor, então, você apareceu na minha vida. Quando menos esperei senti meu coração bater descompassado e meu sangue correr pelas minhas veias, virando pura felicidade, você fez isso tudo acontecer. Eu te abracei com os meus dois braços com medo que tu fosse embora e no fundo, percebi que você não iria em lugar algum sem mim. Assim como eu não vou a lugar algum sem você. Tornei a minha música preferida, a nossa. Tornei o teu sorriso, o meu. E como num passe de mágica, selei minha promessa de estar pra sempre contigo, com os nossos lábios. Em meio a algumas dificuldades, minha vontade de te cuidar se tornou imensamente maior, e junto disso, minha vontade de te deixar do meu lado, se tornou bem mais que apenas sonho.

Antes de eu cair no sono, a tua imagem passou pela minha cabeça, de uma forma estranhamente gostosa. Ao mesmo tempo o teu cheiro ficou em minha pele, sem mesmo ter um contato mais íntimo. Prometi a mim mesma persistir em ti, por mais quantas vezes fossem necessárias, até tu desistir de mim. E assim, caí no sono.

Forever is a long time but I wouldn’t mind spending it by your side

Um dia quando tudo parecia normal, quando tudo parecia mais mal do que bem, você apareceu. Você me abraçou, me cuidou e cuidou de cada cantinho do meu ser. Eu fiquei lisonjeada por poder te ter do meu lado, por poder ter um cuidado nunca tido. Quando percebi, cada parte de mim, esperava por ti. Esperava pelos teus abraços, pelos teus sorrisos, tuas brincadeiras incansáveis. Eu queria teu abraço, teu colo, tuas mãos, e eu precisava só pra mim. Algo que não me pertencia. Não me pertencia e nem me pertenceria tão cedo. Não soube o que fazer com aquele sentimento de vinte e quatro horas. Envergonhei-me porque havia prometido não me entregar novamente. Mas algo dentro de mim me impulsionava com tanta força, algo que me impedia ficar longe por tanto tempo. Eu te procurava com o olhar, por todos os lados, até que você apareceu e sorriu pra mim. Era como se todo o meu ser fosse preenchido de plena felicidade. Naquele momento eu percebi que era você quem eu mais queria. Mas eu queria só pra mim, de uma forma impulsiva e infantil. O teu olhar no meu me fazia parecer desleixada e atrapalhada, me fazia tremer e meu coração acelerar, e bastava eu segurar a tua mão pra tudo isso passar.

Teus olhos me provaram e me deram a liberdade de te apelidar de anjo.

Um desabafo sobre a indiferença

Ninguém entendia o quanto eu me sentia dependente daquele sentimento. Nem eu, nem nossos amigos, nem você. Ninguém entendia a necessidade que eu tinha de correr para os teus braços, incansavelmente. Muitas vezes me sentindo ridiculamente escravizada. Você apenas ria. Eu te esperava horas e horas olhando pro nada, esperava como se você fosse chegar a qualquer momento. Você não aparecia.

Eu ficava extasiada ao sentir tua presença, mesmo que seja mínima, mas eu esperei em vão, você não disse que sentia minha falta. Enquanto cada célula do meu corpo sentia a sua. Você só lembrava de mim quando eu não estava mais ali, quando eu decidia largar de mão por um dia, largar pro lado a tua mão. Mas no outro dia, eu estava ali de novo, pronta pra sentir meu coração rasgar no peito, repleto de dúvidas.

Interroguei-me todos os dias, querendo saber a razão pela qual você não lembrava mim, e eu lembrava de ti incessavelmente. Lia horóscopo, jogava nas cartas, examinava cada detalhe, nenhum deles me trazia a resposta pra tua indiferença. Não éramos incompatíveis, nunca fomos. Por que agora eu havia me tornado apenas uma brincadeira?

Fiquei por fim, procurando todas as respostas, quando finalmente percebi que eu te amava demais, mais do que tu merecias, mais do que eu deveria. Eu simplesmente, te amava. Por isso permanecia aqui quando tu não merecias, quando eu tinha certeza que você não estava afim de estar comigo. Eu estava ali, como sempre havia prometido. E isso te levou embora. Te levou e até agora não te trouxe de volta.